Você já ouviu falar de um medicamento chamado sibutramina? Remédio utilizado no combate à obesidade, o fármaco se tornou, infelizmente, um dos principais aliados de pessoas que fizeram da busca pelo corpo perfeito uma perigosa obsessão. E como consequência, o preço de tal obsessão fez mais uma vítima: Carolina Martins, uma jovem de 23 anos que vivia em Uberaba, MG.

Por, aparentemente, fazer parte de um grupo de pessoas que em hipótese alguma deve utilizar a sibutramina, Carolina não resistiu e morreu por conta dos efeitos colaterais da medicação em seu organismo.

Em relato posteriormente apagado no Facebook, a mãe da jovem, Beatriz Martins, revelou que a filha estava insatisfeita com o corpo, o qual julgava como “cheio de curvas”, e começou a consumir o remédio por se achar acima do peso. “Anos atrás ela usou medicamento para emagrecer, viu que não fez bem, veio até mim e se abriu. Ela não podia fazer uso desse tipo de remédio, pois tinha pressão alta, então desistiu. Fiquei tranquila e achei que ela nunca mais fosse fazer uso deste veneno. Infelizmente, não sei o porquê, ela voltou a tomar”, desabafou a mãe.

Beatriz também contou que não estava ciente de que Carolina havia voltado a usar a sibutramina, mas percebeu que a filha estava diferente. A mãe notou que a jovem estava mais agressiva, com humor instável e sofria com alucinações. E ela afirma que o uso da droga também acarretou em depressão.

“Tenho certeza que ela não queria partir. Era cheia de vida e planos futuros, estava muito feliz em Uberaba e falava isso para todos de coração aberto. Estava decorando seu quarto na casa da avó, que a acolheu com o carinho e zelo de sempre. Tenho certeza no meu coração que, se ela não estivesse sob efeito da sibutramina, nada disso estaria sendo vivido hoje. Ela não tomaria o excesso de comprimidos que tomou e nem teria perdido a vida num rompante de alucinação”, escreveu a mãe.

Afinal, a sibutramina é tão perigosa assim?

O caso acima mostra que é necessário que haja um extremo cuidado antes de consumir o medicamento. Ao portal Vix, o médico Fábio Cardoso, especialista em medicina preventiva, afirma que “o remédio é necessário para tratar obesidade, mas não pode ser utilizado para qualquer redução de peso como costuma acontecer. A indicação é apenas para pessoas com índice de massa corporal (IMC) acima de 30 e sempre monitoradas por um profissional”.

Um questionamento levantado pela mãe é a respeito de como Carolina conseguiu acesso ao medicamento. Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a sibutramina só deve ser indicada por médicos e com receita em três vias: uma que permanece anexada ao prontuário, uma que fica na farmácia e uma que fica com o paciente. Contudo, hoje em dia não é difícil se conseguir medicamentos em “mercados negros” ou vendas ilegais e não controladas das próprias farmácias.

Quem jamais deve consumir a sibutramina

7 grupos de risco devem evitar a droga, de acordo com Fábio:

– Pessoas com menos de 16 anos ou mais de 60;- Pessoas com histórico de alcoolismo;- Pessoas com obesidade que tenham outras causas, como hipotireoidismo ou gravidez;- Usuários de antidepressivos;- Pessoas com antecedentes de distúrbios alimentares;- Pessoas hipertensas ou com doenças cardiovasculares;- Portadores de hipertensão.

Fique alerta!

Ajude seus amigos, compartilhe saúde!