Os conhecimentos ancestrais, de nossos tataravós, transmitidos de geração para geração têm uma sabedoria incrível.

Em algum momento da história da humanidade, passamos a valorizar apenas a tecnologia farmacêutica e fomos deixando de lado aqueles segredinhos de nossas avós que em muitos momentos da nossa infância operou verdadeiros milagres no corpo e na alma.

De uns tempos para cá, temos visto algum movimento para resgatar a sabedoria natural das ervas. E o melhor é observarmos que a ciência cada vez mais recorre ao conhecimento natural. E quanto mais nos aprofundamos, mais descobrimos quantos benefícios essas ervas oferecem.

Você sabia que para melhorar a memória e o aprendizado, existem duas ervas super potentes? Uma Universidade nos Estados Unidos descobriu que algumas ervas são altamente antioxidantes e por isso ajudam no antienvelhecimento. E não são ervas exóticas, não. Confira:

Hortelã: essa erva tão conhecida é antioxidante, tem vitamina A e vitaminas complexo B, com efeito benéfico para os olhos e para a pele, para prevenir infecções, ajudam no metabolismo da glicose no sangue e são essenciais para o sistema nervoso, ajudando a prevenir doenças do envelhecimento como por exemplo, Alzheimer. Ela pode ser consumida fresca, na salada, na sopa, nos temperos, nos sucos e água e no tradicional chazinho de hortelã.

Alecrim: rico em vitamina A e K, que além de ser bom para os olhos e a pele, ajudam na coagulação sanguínea e a fixar o cálcio nos ossos. Do complexo B, é rico em B1 E B2, que agem no metabolismo da glicose, e são fundamentais para a formação da chamada bainha de mielina, que cobre as fibras nervosas e permite a comunicação entre os nervos.

Ajude seus amigos, compartilhe saúde!